Subscribe

RSS Feed (xml)

Powered By

Skin Design:
Projecto FórumJovem

Powered by Blogger

OS JOVENS TAMBÉM TÊM OPINIÃO SOBRE OS ASSUNTOS DO DIA-A-DIA, DO PAÍS E DO MUNDO! ESTE É O BLOG ONDE ESSA OPINIÃO CONTA. DÁ-NOS A TUA. SER JOVEM É UM ESTADO DE ESPÍRITO (e segundo a lei é dos 14 aos 30 xD)

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Tabagismo



“A Organização Mundial de Saúde garante que o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo.” Hoje é este o tema: tabagismo. Um vício ou uma moda? Deixo a pergunta no ar… Num inquérito de 2006 foi visto que mais de 1,8 milhões da população fuma. Parece que de 2007 para 2008 o consumo de tabaco, baixou com um número de onze mil. O que é certo é que os fumadores já gastaram três milhões de euros em medicamentos, adesivos e pastilhas de nicotina. Em Janeiro deste ano, a nova lei do tabaco fez cair 16% das vendas.
Para além do quanto prejudica a saúde e a carteira, vem o facto de não se poder fumar em alguns locais fechados. Pelo que li, há cada vez menos fumadores. Mas, quando passo numa esquina, por vezes vejo mais uma cara jovem conhecida, e está já com um cigarro na boca. Penso “também já fuma…”. Segundo o que se vê, sem contar com estatísticas parecem haver cada vez mais jovens a fumar, e os mais velhos a comprar pastilhas de nicotina e medicamentos para deixar de fumar. A sociedade jovem portuguesa é um meio muito influenciável, e a faixa etária da minha idade essencialmente deixa-se levar com facilidade quando entramos nos supostos grupos de amigos mais velhos, quando começamos a sair ou quando nos dão alguma liberdade. Lá está, é que se começa a fumar por moda e acaba num vício! O problema é que a maioria da população jovem começa a fumar porque é giro, ou porque o melhor amigo fuma, e acaba viciado também. Depois não consegue largar porque não consegue sem medicação e não tem dinheiro, e vai cravando aqui e ali, e como o vizinho do lado até lhe devia uns cigarros, agora é altura de lhos pedir.
O dinheiro que damos por um maço de tabaco é um absurdo, e a culpa é mesmo dos fumadores que continuam a comprar e a consumir cada vez mais e mais. Li que neste mesmo ano um maço de tabaco pode vir a custar 4€! E alguns já quase custam esse preço, mas a malta mais jovem nem quase repara, pois optam quase sempre pelos mais baratos, ao contrário de adultos que já fumam há vinte anos e continuam com a mesma marca cara do que quando era uma bagatela. Está provado também que em maioria, fumadores são do sexo masculino.
“O total de mortes devido ao uso do tabaco atingiu 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia.” Tinham noção destes valores? Aposto que muita gente não esperava ler isto. “Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o tabagismo passivo, a 3ª maior causa de morte evitável no mundo (…)” Bem, desta é que não estava mesmo à espera.
A verdade é que quando fumamos, não nos estamos só a prejudicar a nós; o pior são os que não têm culpa, e têm que levar com o fumo à mesma. O problema de muitos portugueses é que sabem que estão a fazer mal, e ainda arrastam gente atrás.
Brindo-vos, então, com um texto meu que tem a ver com fumadores na adolescência que não se preocupam com o seu estado de saúde, mas ainda assim têm certos medos:



“Pego com suavidade no último de todos do maço. Trago a caixa cheia até ao cimo de fósforos inocentes, tão apagados como a luz da varanda que agora acendo. Fecho a porta do quarto devagarinho como se nada fosse acontecer, como se de tudo, nada tivesse acontecido…
Agora, de porta fechada e varanda entreaberta, o chão morno espera-me como algumas vezes já esperou, e me recebeu. Eu sento-me e acendo-o apenas com um fósforo que queima em segundos com o vento a torcer pela sua força. A brisa extinta exerce pressão sobre o meu corpo que agora relaxa poisado nas lajes rectangulares. O meu pai já dorme, a minha irmã foi de férias e a minha mãe está sentada na rua com vontade de fumar um cigarro que nem deve. Eu, esbaforida, fumo-o como o último de mais uma caixa de cartão que custa mais do que muitas pastilhas. Nada vai, nada vem, nada sai nem entra em mim, que eu desconheça.
O cigarro vai queimando em poucos minutos e soam barulhos de fora. Terá o meu pai acordado? Paro. Tenho receio de que me veja com um cigarro em mãos. Estará ele à porta do quarto, à espera que saia com a caixa de fósforos na mão? Não. São só ruídos de uma porta de carro a bater lá em baixo. E eu, nesta noite, do terceiro andar, escuto todos os passos que dão. Não falo, nem penso sequer. Apenas fumo, tal como deve ser… O que fará a nicotina deixar-me assim? Será a calma que trespassa, a adrenalina, as explicações possíveis que teria de dar ao verem-me como mais um? Fumo-o até às letras pequenas que dizem ‘Chiesterfield’ e esmago-o na saliva que deito sobre algumas folhas de papel dobradas. Atiro-o borda fora, tal como o fósforo queimado. Acendo as luzes e guardo a caixa dentro da gaveta, onde se encontrava. Bebo um gole de água, volto a apagar as luzes que reacendera há pouco. Como algo doce que me faça esquecer o seu sabor, o aroma de compostos que matam, recentemente impostos na minha boca. Eles vão-me sugando o oxigénio sem medo, tal como esse medo que tinha do meu pai já se foi. Eu sempre fui inocente, acho que é o que ele pensa. Não se passa nada, nunca passou. Que cigarro? Já se apagou, espreitem da varanda do meu quarto…”

Olá, eu sou a Daniela Ermitão, a cara mais jovem e feminina da nova iniciativa Fórum Jovem. Tenho 15 anos, vou iniciar o 10º ano na área de ciências e tecnologias e vivo na Torre da Marinha (Seixal). A minha grande paixão é o Alentejo (Borba principalmente) e entre esse, outros grandes vícios: a escrita, o canto, as danças de salão, as séries do AXN de manhã, à tarde e à noite, os meus amigos e o Verão em si. Sou das pessoas mais stressadas e impacientes que conheço. Não dou ouvidos a terceiros, não me escondo de ninguém, não tenho medo do que faço e nunca me arrependo das minhas atitudes. Não penso duas vezes antes de agir e sou muito impulsiva. A poesia corre-me nas veias e já tenho dois livros, mas que não estão editados. Mais tarde, quero seguir Psicologia e vou apresentar-vos todo o meu tipo de escrita.


Danihell :D

13 comentários:

andzcobain disse...

daniela, escreves tão bem :)
adorei o artigo *
beijo

André P. disse...

Bem... como já estava à espera, cá está um grande post, vindo d' "a cara mais jovem e feminina" da Fórum Jovem... não só é bastante interessante mas também muito importante!

Já lá vão os dias em que (com 8 ou 9 anos) roubava os cigarros da carteira da minha mãe para os rasgar e deitar para o lixo sem que ela desse conta, apenas por um simples motivo... detestava aquele vicio... fazia TUDO para que os meus pais parassem de fumar! E um dia, indirectamente, as minhas preces foram ouvidas... O meu pai chega do médico e diz "Vou ter que deixar de fumar... Tenho o pulmão completamente negro..." (e tinha antecedentes de asma...).
Assim que ouvi isso... a minha primeira reacção foi estranha! Fiquei triste por saber aquilo mas ao mesmo tempo feliz porque sabia que ia fazer com que deixasse de fumar! No meses seguintes o orgulho que tinha pelo meu pai só aumentava, ao ver que, sem pastilhas nem medicamentos, os maços de tabaco diminuíam na bancada, e as beatas nos cinzeiros eram cada vez menos... até que um dia ouvi o "A partir de hoje... nem mais um!"... Aí sim! Fiquei mesmo contente... consequentemente a minha mãe deixou de fumar, também sem auxiliares, porque ,apesar de não lhe ter sido diagnosticada doença nenhuma, por solidariedade para com o meu pai... deixou também! Brutal, o dia em que os cinzeiros eram arrumados numa gaveta para que, em vez de acumularem cinzas, pó fosse o seu único "alimento"...

Apesar dos meus pais sempre me respeitarem muito a mim e às minhas irmãs (nunca fumavam perto de nós... a minha mãe deixou sempre de fumar durante as gravidezes... etc.) éramos sempre afectados... e como refere a Daniela no post ser fumador passivo é quase tão mau como ser fumador activo...

No passado, "o vicio era diferente", contavam-me os meus pais... "Antigamente não se sabia que o tabaco era prejudicial... as pessoas fumavam como se se tratasse de um chocolate que comiam... sabia bem!". Hoje em dia é diferente, as pessoas sabem BEM demais os perigos do tabaco mas ainda assim... fuma-se e começa-se a fumar... aliás! como está referido no post... passou a ser "fixe" fumar... provavelmente porque é um acto de "rebeldia"... mas não é isso que está aqui a ser discutido... O grande problema é que aumentou MUITO a quantidade de pessoas que fumam... e consequentemente, o numero de pessoas que morre disso...
Eu deixei de tentar ser o salvador da pátria e dizer "Epá... deixa de fumar... isso faz-te mal" para um simples "Fuma à vontade... Desde que não me andes a impingir..." lol. Não há outra hipótese... As pessoas fazem o que querem e têm bem noção da gravidade do que estão a fazer... Cada pessoa tem os seus vícios... normalmente são errados, mas ninguém é ninguém para julgar essas escolhas...

Eu, pessoalmente, orgulho-me de não fumar... mas não tenho nada contra quem fume!

P.S.: O texto está... espectacular.. muito bom, mesmo... gostei! Ainda me hás-de ensinar a escrever assim! LOL

Beijinhos e Abraços,
André

João Pereirinha disse...

Muito bem , muito bem escrito. Vais buscar factos e fontes para dar ênfase ao que dizes, expões o assunto de forma bilateral, apontando os dois lados do assunto, dramatizas q.b. e depois pões um texto teu para deixar a questão retórica no ar, e pronto, que tu sabes escrever todos sabemos e está mais do que provado. (nem preciso dizer mais uma vez que gosto)

Mas olha, agora para além da minha análise critica já feita, queria aqui explicar por exemplo, o facto do preço do tabaco andar a aumentar tanto, não só no nosso país mas também no resto da Europa onde, em alguns países os maços chega a custar entre 5 a 20€.
É assim,como tu referiste e muito bem, têm-se vindo a descobrir, de há uns anos pra cá, cada vez mais doenças derivadas ou catalisadas pelo vício do tabaco, directa ou indirectamente. Na verdade, se tivermos em conta estes dois factores, a grande maioria de doenças que nos levam à morte hoje em dia tÊm ou inicio ou plo menos um dedinho do tabaco. E os governos aperceberam-se disso, mas entraram num dilema muito grande. Primeiro não poderiam proibir a industria do tabaco, que, além da riqueza produzida nas vendas, gera empregos, não podemos esquecer, e ao mesmo tempo não podiam continuar a investir tanto dinheiro(ou a perder) no tratamento público de tanto malefício, estou a falar de quanto custa um doente ao estado de problemas derivados do mesmo. Ou seja, tinham que evitar os malefícios mas parecia não poderem evitar o tabaco, então a solução pareceu óbvia: não os podes vencer, junta-te a eles. Como tal a politica escolhida por milhares de governos foi a de sufocar, por assim dizer, a industria. Aumentar os impostos sobre o produto em diversas fases da produção deste inflacionando o preço final, obrigando os consumidores como que a desistirem e a retraírem-se nas compras, melhorando a qualidade de saúde a longo prazo e em vez de gastarem € em melhores em sistemas de saúde públicos para tratar as pessoas e as ajudar a perder o vício, tornou-se mais rentável esta solução, que começa a dar os seus lucros a aliadas a outras e ao mesmo tempo uma medida muito boa para os cofres públicos.

Como diria o elefante do Jumbo: Tu és macaco!

Beijinhos e abraços à tia
Façam muito amor e tenham um bom dia,

João Pereirinha, escreve às quartas

Metamorfose disse...

Está bastante bom, mas meter na cabeça dos jovens a razão, em vez de diversao é dificil :)

João Pereirinha disse...

Incrível, porque acabei de chegar da praia e, mesmo de propósito, em frente à minha toalha ficaram: um rapaz com os seus 15 anos acompanhado de mais duas miúdas, uma com cerca de 13 anos e outra com uns 10 (por aí) e um adulto que os acompanhava. O choque é que, o tempo todo, os dois miúdos mais velhos estiveram a fumar... bestial... não reparei, mas talvez até tenha sido o "suposto pai" a passar-lhes o maço pras mãos...


Ps: Daniela, Please Do Not Smoke!!!

Daniela Ermitão disse...

Juro que ando a fumar menos Joãozinho :$$

Mateus disse...

(finalmente de ferias! YES!)

Bem... gostei muito do tema! ... A primeira vez que dei uma passa foi aos 3 anos! E foi-me dada pelo meu pai!!!!

Praticamente nem pulmoes tinha e fiquei a tossir uns 5 min e com um sabor horrivel na boca!

Conclusao: Nunca mais tive curiosidade de fumar outra vez!


TCARAN!!!!!!!!!! LOL

ana disse...

podes sempre começar a ensinar Às tuas amigas do alentejo para deixarem de fumar para se fazerem de grandes mulheres quando nao passam de miudas frustadas e imaturas

André P. disse...

Isso cheira-me a um comentário de uma miuda frustada e imatura... LOL

Daniela Ermitão disse...

A mim cheira-me é que as pessoas em vez de se meterem na sua vida, metem-se na das outras de uma maneira indirecta. Já agora, quem são as amigas? :D

Rach disse...

Wow, que orgulho minha míuda. Como sempre está fantástico Daniela. Quero aproveitar também para te dar os parabéns. Podia falar do jeito que tu tens para escrever, e como tenho o meu pc atulhado de textos teus, mas qualquer pessoa que leia algo teu se dá logo conta disso mesmo. Quanto ao tema, sim é verdade, com o passar dos anos, ao termos mais informação, não só nós os jovens, mas como também os mais velhos, deveríamos ter uma precepção mais séria dos riscos e também de como não nos prejudica só a nós, mas a todos os que nos rodeiam. Eu fumo á cerca de um ano e tal, e talvez se optasse agora escolhería não ter começado. Mas não me considero de todo 'agarrada' e muito menos o faço para parecer uma mulherzinha lol Comecei com o meu grupo de amigos, e simplesmente são opcções.

Bem, e quanto a esse comentário em cima, visto da minha prespectiva 'frustrada e imatura' é claro, está o rir. lol. Presumo que as amigas sejamos nós, que não somos 'grandes mulheres', mas que ao menos, sabemos ler um post e fazer uma observação mais interessante do que a vinda de alguém 'muito crescido', de qualquer forma obrigada pela atenção e tempo gasto a dar um cheirinho a todos nós de infantilidade e gosto pela vida alheia ;)
*

J disse...

Ora muito bem... sinceramente como fumador sinto assim para o ligeiramente ofendido.

Tenho 20 anos e fumo um maço de tabaco por dia, isto quando chega, porque se saio a noite é mais um maço a adicionar à conta, não fumo por ser moda, nem comecei a fumar para ser mais in ou fixe ou o que quer que seja, comecei a fumar simplesmente porque foi a primeira coisa que me veio a mão numa altura de maior stress, isto há 4 ou 5 anos atrás, se me tivessem apresentado as bolas anti-stress se calhar hoje não seria o viciado que sou, mas acima de tudo não me arrependo porque a verdade é que me ajudou.

Fazendo contas, 1 maço por dia, mais 3 maços por semana pelas vezes que saio a noite, vezes 3,35€ que é o preço de marlboro soft dá a volta de 141€. Esta é a minha despesa mensal em tabaco, se acho muito? claro que acho e quem não acha ou nada em dinheiro ou vende droga, esta para já é a única razão pela qual deves em quando la tento parar de fumar.

Em relação aos factos apresentados, acredito no que dizes, mas sinceramente "tou-me a cagar"... sinceramente acho que o tabagismo é um mal menor na sociedade de hoje, há muitos outros conceitos e hábitos que temos que mudar antes de pensar no tabaco...

E um abraço ao pereirinha ^^ a ver se voltam cá ao norte xD ou já há baldes por essas bandas?

Sem mais, Cavalheiro

Daniela Ermitão disse...

Em relação ao comentário aqui de cima feito por 'J', é claro que se tens consciência daquilo que fazes, então é uma decisão tua, ninguém mais tem a ver. Eu, como fumadora, não estou a querer ofender fumadores, mas não acho o tabaco um mal menor na sociedade. Também não fumo porque é moda, mas sim porque me descontrai, me tira um peso de cima. Acho que não há motivos para te sentires 'ligeiramente ofendido' x) Obrigado pela opinião,

Danihell